Notícias

28/09/2017


Técio Lins e Silva entrega a Medalha Teixeira de Freitas a Hermano de Villemor Amaral Filho

Plenário histórico lotado, um minuto de silêncio, condecoração e ingresso de novos consócios. A sessão solene comemorativa aos 174 anos do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), conduzida na noite desta quarta-feira (27/9) pelo presidente nacional, Técio Lins e Silva, foi marcada por homenagens e momentos emocionantes. O minuto de silêncio, na abertura da sessão, foi em memória da advogada Dyrce Drach, que morreu no dia 23 de setembro, aos 86 anos. “Foi uma grande companheira, que dedicou grande parte da sua vida à defesa de presos políticos”, afirmou Técio Lins e Silva. O decano do Conselho Superior do IAB, Hermano de Villemor Amaral Filho, de 97 anos, foi condecorado com a Medalha Teixeira de Freitas, “a mais importante comenda da Casa de Montezuma, que distingue aqueles que prestaram inestimável contribuição ao Direito e à Justiça”, destacou Técio.


O ex-presidente do IAB Ricardo Cesar Pereira Lira

Dentre os que compareceram à sessão solene estavam os ex-presidentes Maria Adélia Campello Rodrigues Pereira e Ricardo Cesar Pereira Lira, que assumiu a tribuna, em substituição ao orador oficial do IAB, José Roberto Batochio. “As instituições que nascem para ficar trazem consigo a marca indelével da perenidade”, afirmou o ex-presidente. Em seu discurso, ele também destacou que “nos seus 174 anos, o IAB vem sofrendo bravamente as vicissitudes do seu destino, que hoje é marcado por essa administração exemplar, poderosa e histórica do nosso estimado presidente Técio Lins e Silva”. Ricardo Cesar Pereira Lira disse ainda: “Integrado por aqueles que acreditam na força transformadora do Direito e da lei, o IAB tem sido, ao longo do tempo, e continuará a ser, o guardião das instituições democráticas e das liberdades públicas”.

‘Amor à Justiça, ao Direito e à Advocacia’

Hermano de Villemor Amaral Filho foi o 57º homenageado com a Medalha Teixeira de Freitas, com a qual foram agraciados, dentre outros, Clóvis Bevilacqua, Nelson Hungria, Sobral Pinto, Victor Nunes Leal, Raimundo Faoro, Dalmo Dallari e Bernardo Cabral, o 56º condecorado. “Tenho uma profunda admiração por Hermano de Villemor, por seu amor à Justiça, ao Direito e à Advocacia, demonstrado em 74 anos de exercício profissional, e especialmente por ter sido colega de turma de Aldo Lins e Silva, primo de meu pai Raul Lins e Silva”, disse Técio, visivelmente emocionado, no momento da entrega da comenda.

Na sua saudação ao decano do Conselho Superior, Técio falou, também, que “a jovialidade do nosso homenageado se deve ao seu exemplar amor à profissão, à sua dedicação ao escritório Villemor Amaral Advogados, fundado em 1909, e herdado por ele, em 1955, com o falecimento do seu pai, à sua generosidade e ao seu bom-humor inabalável”. O presidente do IAB leu alguns trechos do livro Continuamos..., lançado em 2009, em comemoração aos cem anos do escritório, “que não é apenas um símbolo de um escritório antigo, mas um modelo para a advocacia brasileira”, disse.


Da esq. para a dir. Carlos José Santos da Silva, Felipe Santa Cruz, Felipe Sarmento Cordeiro, Jackshon Grossman,
Técio Lins e Silva, Carlos Eduardo Machado, Hermano de Villemor Amaral Filho, Bernardo Cabral e Roberto Guimarães


Ao agradecer da tribuna a homenagem, Hermano de Villemor Amaral Filho disse ter ficado “surpreso” ao ver seu nome “sufragado para ostentar, na lapela, a fulgurante medalha, que tanto prestigia advogados”. Villemor fez elogios a Técio Lins e Silva: “Em sua gloriosa vida profissional, esse tenaz defensor da Justiça e da democracia é, sem dúvida, merecedor de igual galardão, porque nunca deixa de apontar, corajosamente, os erros ou desvios que ocorrem nos sistemas jurídico e político brasileiros”.

‘Destemido causídico’

E disse ainda sobre Técio: “A sua garra e amor pelo Direito, sempre expostos com veemência bem dosada, caracterizam sua personalidade, herdada, claro, de outro destemido causídico, Raul Lins e Silva, seu pai”. Villemor finalizou o seu discurso, dedicando simbolicamente a medalha "ao inigualável finado colega Ivan Paixão França”, que morreu recentemente, aos 94 anos. Estavam presentes no plenário Deolinda e Layla, respectivamente, esposa de Villemor e viúva de Ivan Paixão França.

Na sessão solene, Técio deu posse, como membros efetivos, aos advogados Dora Marzo de Albuquerque Cavalcanti Cordani, Flávia Rahal Bresser Pereira, Lucia Helena Mugayar Guedes Mallet e Luiz Rodrigues Wambier, que falou em nome de todos. “Agradecemos ao IAB por nos acolher e esperamos contribuir para que o Instituto continue na sua história de construção da democracia”, afirmou o advogado. Técio disse que “o ingresso de novos consócios em todas as sessões ordinárias demonstra a vitalidade do IAB em seus 174 anos de existência”.


Da esq. para a dir. Luiz Rodrigues Wambier, Lucia Helena Mugayar Guedes Mallet, Flávia Rahal Bresser Pereira e Dora Marzo de Albuquerque Cavalcanti Cordani

Também compareceram à sessão o presidente da OAB/RJ, Felipe Santa Cruz; o secretário-geral do Conselho Federal da OAB, Felipe Sarmento Cordeiro, que representou o presidente Claudio Lamachia; os presidentes da Academia Brasileira de Letras Jurídicas, Francisco dos Santos Amaral, do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR), Deusdeth Nascimento, do Instituto dos Magistrados Brasileiros (IMB), Roberto Guimarães, da Associação Brasileira de Direito Financeiro (ABDF), Gustavo Brigagão, e do Centro de Estudos das Sociedades de Advogados (Cesa), Carlos José Santos da Silva, o Cajé; o defensor público Roberto Reis, que representou o defensor público-geral do RJ, André Castro; o procurador-geral do Ministério Público do Trabalho do Estado do Rio de Janeiro, Fábio Goulart Villela, e John Lowndes, representando o Rotary Club do RJ.

Fonte: IAB