Notícias

19/12/2018

Morreu o advogado Irecê de Azevedo Marques Trench, um dos primeiros sócios do Trench Rossi Watanabe. O corpo será velado nesta quarta-feira (19/12) a partir das 12h no Cemitério do Morumbi, em São Paulo. O sepultamento ocorre às 17h.

O escritório exaltou o advogado, que já estava aposentado. "Foi um dos nossos primeiros e principais líderes.  Sua visão, ética, energia e carisma estabeleceram os princípios e alicerces que nos tornaram um dos mais conceituados escritórios brasileiros", diz a nota.

Nascido em Botucatu (SP), em 1º de novembro de 1931, formou-se pela Faculdade de Direito da USP, em 1958.  Iniciou sua carreira como estagiário no Pinheiro Neto. Teve passagem pelo Tribunal de Impostos e Taxas do Estado de São Paulo.

Em 1968, torna-se sócio do Garland Stroeter Advogados, que mais tarde ostentaria seu nome, primeiro como Stroeter, Trench e Veirano, depois, Trench Rossi Watanabe. Atuou como sócio administrador do escritório por vários anos até se aposentar após 38 anos de advocacia.

Leia a nota do escritório:

O escritório de advocacia Trench Rossi Watanabe informa com grande pesar o falecimento de um de seus sócios fundadores, Irecê de Azevedo Marques Trench, nessa manhã, 19 de dezembro.

Com quase 40 anos de carreira, Irecê Trench capitaneou a história de um dos escritórios mais representativos do país, que em 2019 completa 60 anos de fundação, valorizando não apenas seus títulos e grande conhecimento na área jurídica, como, também, as relações humanas.  

Nascido em Botucatu em 1º de novembro de 1931, Irecê Trench se formou advogado na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Iniciou a sua carreira no escritório de advocacia Pinheiro Neto, como estagiário. Em 1959, se tornou sócio fundador do Garland, Stroeter e Trench, que mais tarde passou a se chamar Trench Rossi Watanabe. Também foi um dos fundadores do CESA, Centro de Estudos das Sociedades de Advogados.

Ao lado de outros advogados, fez parte da primeira geração de sócios da banca, que defendia um olhar visionário para a época, com especialidades multidisciplinares relacionadas ao mundo empresarial. Esse conceito ganharia, mais tarde, o nome de "full service".

Fã de poesia, Irecê era um ótimo escritor e muito próximo às pessoas, tendo feito muitos bons amigos ao longo da vida, muito deles que se entremearam à sua vida profissional. Acreditava na potencialidade dos jovens e os encorajava em seus encontros e palestras.

Irecê Trench deixa esposa, filho, netos, amigos e sócios.

O corpo será velado a partir das 11h30 de hoje, 19/12, no Cemitério do Morumbi, em São Paulo. O sepultamento ocorrerá às 17h.
Fonte: Consultor Juridico SP