Notícias

06/12/2017

Anúncio dos vencedores foi feito durante coquetel de encerramento das atividades do CESA e do SINSA.



Já tradicional no calendário da comunidade jurídica brasileira, o CESA - Centro de Estudos das Sociedades de Advogados e o SINSA - Sindicato das Sociedades de Advogados dos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro realizaram ontem, no Jockey Club de SP, o coquetel de encerramento das atividades de 2017.

Este ano, a festa celebrou a entrega da 1ª Edição do Prêmio Lumen, iniciativa que reconhece as boas práticas promovidas pelos escritórios de advocacia em áreas de gestão e projetos de responsabilidade social e atividades pro bono que tenham eficácia comprovada.

Na categoria "Boas práticas de gestão" o Machado, Meyer, Sendacz e Opice Advogados foi escolhido por seu "Comitê de Diversidade". Criado em 2011, inicialmente para fornecer oportunidades de ascensão às mulheres e tornar cada vez mais igualitária a proporção entre os gêneros nas posições de liderança, o escritório percebeu que era importante endereçar outras questões de diversidade, como a inclusão de negros e LGBTs.

Já no quesito "Responsabilidade social" o reconhecimento foi dado ao TozziniFreire Advogados por seu trabalho de desenvolvimento da cidadania entre jovens de baixa renda por meio do projeto "Jogo dos três poderes", onde eles ensinam, de modo dinâmico, interativo e de fácil entendimento, a composição e o funcionamento dos poderes legislativo, executivo e judiciário.

Para a categoria "pro bono" o prêmio Lumen foi entregue ao Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados por seu reconhecido trabalho Pro Bono, realizado desde 1999 para mais de 150 organizações da sociedade civil nas mais diversas áreas de atuação e que recentemente foi ampliado para pessoas físicas, sobretudo na defesa e promoção dos Direitos Humanos em relação a mulheres e refugiados.

O objetivo maior da premiação é incentivar e possibilitar que essas ações sejam replicadas por outros escritórios, qualificando a atuação do setor de advocacia no mercado de trabalho e junto à sociedade. O corpo de jurados (clique aqui) considerou práticas que visavam o desenvolvimento intelectual, profissional e/ou pessoal do corpo interno das bancas. Já no caso da ação de responsabilidade social, a atuação voluntária das sociedades de advogados na adoção de ações, comportamentos e iniciativas que promovam o bem-estar da coletividade, tanto de seu público interno e externo.



Durante o evento também foi lançado o "ANUÁRIO CESA 2017", que este ano foi organizado de forma diferente dos anteriores. Reunindo artigos sobre "A advocacia e a tecnologia" a ideia foi que cada colaborador trouxesse sua perspectiva sobre o assunto, ao contrário dos outros anos, nos quais havia um tema geral e cada comitê e seccional escrevia sobre o mesmo assunto.

"Boas práticas de gestão" - Machado, Meyer, Sendacz e Opice Advogados

 

 

"Responsabilidade social" - TozziniFreire Advogados

"Pro bono" - Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados

 






Fotos: Felipe Lampe

Fonte: Migalhas